A forma como os profissionais jurídicos oferecem os serviços ao público requer, cada vez mais, criatividade e inovação, sobretudo devido ao avanço da tecnologia no segmento e à promessa de facilitar a vida dos indivíduos.

Nesse contexto, destaca-se o conceito de Legal Design, uma abordagem criada nos Estados Unidos com o intuito de repensar a maneira de fornecer produtos e serviços no mercado jurídico, utilizando o Design Thinking.

Embora o conceito seja um grande diferencial para o advogado que deseja se destacar na carreira, nem todos sabem como aplicá-lo devidamente. Pensando nisso, preparamos este conteúdo para explicar o conceito do Legal Design e como colocá-lo em prática. Acompanhe a leitura e saiba mais!

O que é Legal Design?

O Legal Design é uma abordagem focada na utilização de recursos de experiência do usuário e design para o desenvolvimento de produtos jurídicos. Ou seja, é a aplicação de técnicas específicas do design ao Direito.

Sua aplicação vai desde a tomada de decisão e o planejamento do escritório até o aspecto visual propriamente dito. O resultado dessa metodologia é a elaboração de melhorias voltadas para o usuário final, para que a mensagem passada pelo documento jurídico seja objetiva.

Na prática, o Legal Design apresenta três principais objetivos:

  • ajudar os leigos e os profissionais da área do Direito;
  • desenvolver um suporte para os sistemas jurídicos, utilizando o poder do conhecimento e dos processos de design para aperfeiçoar os mecanismos e as interfaces com as quais os clientes podem circular pelo sistema jurídico;
  • atuar para otimizar processos a curto prazo e trabalhar em ações inovadoras para proporcionar modificações a longo prazo.

Em suma, a ideia dessa abordagem é aperfeiçoar produtos e serviços por meio da empatia, gerando engajamento e entregando valor como resultado. Na área jurídica, é aplicada ao atendimento e à compreensão de adversidades de clientes, bem como para analisar soluções rápidas antes da entrega final.

Quais são os tipos de Legal Design?

Inspirado pelo Design Thinking, o Legal Design é subdividido em duas frentes: o Visual Law, que é a mudança do pensamento de inovação jurídica de forma materializada e, em seguida, as metodologias ágeis.

As metodologias ágeis manifestam-se com a criação de softwares, que foram extremamente relevantes para a tecnologia jurídica, assim como em outras áreas. Com isso, a produtividade aumenta, uma vez que os mecanismos tecnológicos são capazes de agilizar os percursos e desburocratizar diversos processos.

Por que aplicar o Legal Design?

Antes de mais nada, se você deseja se tornar um advogado de destaque na sua área, certamente utilizar o Legal Design é uma ótima alternativa. Afinal, qualquer ferramenta ou ação que busca simplificar processos e facilitar a vida do cliente é vantajosa.

O Legal Design deve ser usado sempre que for para melhorar o entendimento do usuário sobre um produto jurídico, como os recursos do novo CPC, por exemplo, que geram diversas dúvidas aos usuários. Por esse motivo, é uma metodologia importante para a inclusão das pessoas e o acesso à justiça.

Nesse sentido, a metodologia de Legal Design deve ser pensada e desenvolvida conforme as necessidades específicas que se mostram mais eficientes para os objetivos do negócio, criando documentos mais simples e que tenham mais fundamentos para os clientes e/ou usuários.

É importante ressaltar, ainda, que um dos grandes propósitos do Legal Design é fazer com que indivíduos e empresas consigam tomar decisões da maneira mais estratégica possível. Para isso, a abordagem pode ajudar tanto pessoas leigas no assunto quanto profissionais do Direito a compreenderem melhor o funcionamento da Lei e o contexto em que estão inseridos.

Tenha as mesmas condições

Quais são os benefícios disso?

De um modo geral, podemos dizer que o Legal Design é extremamente útil e traz diversos benefícios a toda a comunidade jurídica e à sociedade. É importante destacar que a metodologia não tem a finalidade de acabar com a aplicação técnica, mas sim de promover a equidade e facilitar o entendimento e o consumo do Direito, sem prejudicar a qualidade procedimental.

Por meio dele, é possível buscar maneiras mais eficientes de se comunicar e passar a mensagem desejada, seja através de um contrato ou de uma peça, assim como aprimorar a experiência, a compreensão e o empoderamento dos usuários.

Com a melhora da comunicação e a facilitação das interações entre as pessoas e o sistema jurídico, são fornecidas condições melhores para um maior engajamento com as normas estabelecidas e também uma efetividade maior da sua aplicação.

Quais são as etapas para colocar o Legal Design em prática?

Para colocar o Legal Design em prática, são necessárias algumas etapas gerais, que se complementam no desenvolvimento e na transformação do pensamento. Confira!

Descoberta

Trata-se do grande começo. Aqui, o objetivo é tentar solucionar o problema principal, a partir de hipóteses criadas por toda a equipe, de forma ampla, como “Qual o problema que quero resolver?”.

Interpretação

Depois dos dados e das questões levantadas, a segunda etapa funciona como uma síntese da primeira. Dessa forma, é o momento de separar as melhores respostas para o problema e resumi-las em uma única frase. Assim, há maior foco e praticidade para resolvê-lo.

Ideação

Esta é a etapa da criatividade. Deve-se pensar em como o problema pode ser resolvido. É importante que a equipe esteja aberta a novas ideias, não se prendendo a padrões e atitudes tradicionais que costumam não funcionar.

Experimentação

Depois da ideação, o objetivo é construir um protótipo. Ou seja, pensar em um teste para colocar a resolução em prática. A ideia é não se preocupar com o produto finalizado, mas sim com o modelo, para verificar os possíveis erros e ajustes necessários.

Evolução

A última etapa é uma fase contínua, que será estendida diariamente nos processos. Assim, com os feedbacks e a prática diária, a equipe perceberá o que funciona ou não, evoluindo e aprimorando o produto cada vez mais.

Como aplicar o Legal Design?

O processo de Legal Design pode ser aplicado a qualquer serviço jurídico, assim como as informações são apresentadas, os processos são configurados e as políticas são estabelecidas. Mas é fundamental ressaltar que a abordagem é tanto uma mentalidade quanto uma disciplina.

No departamento jurídico, a aplicação do Legal Design envolve a remodelagem de processos internos. Por exemplo, para aprimorar a experiência do usuário com os documentos produzidos, é necessário:

  • tornar objetivos os documentos jurídicos;
  • evitar a utilização de palavras de difíceis;
  • remover a “poluição” textual ou visual;
  • usar iconografia, cores e fontes para melhorar a escaneabilidade das informações;
  • inserir recursos visuais que ressaltam e facilitem a compreensão.

Para potencializar essa transformação, muitos profissionais contam com o apoio da tecnologia para gerenciar os processos e as tarefas administrativas, que permite entender o comportamento do usuário e consiga implementar melhorias em seus documentos.

Além disso, as especializações são ideais para que o profissional tenha controle sobre as estratégias do negócio. Isso agrega valor ao trabalho e cria uma melhor experiência para o cliente.

Esperamos que, com este artigo, você tenha entendido mais sobre o Legal Design e como colocá-lo em prática. Se você gostou do post e deseja ficar por dentro de mais conteúdos como este, não deixe de seguir nossas páginas nas redes sociais. Estamos no LinkedIn, no Facebook, no Instagram e no Twitter!

newsletter

Novidades de EBRADI por e-mail

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Entre em contato com a equipe EBRADI

Preencha o formulário e fale com um consultor de vendas

Condições especiais para a sua matrícula

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

| AVISO DE COOKIES

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para auxiliar na navegação, aprimorar a experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo do seu interesse. Para mais informações consulte nosso Aviso Externo de Privacidade.