Após concluir a graduação em Direito, é chegada a hora do graduado decidir em qual ramo da advocacia se especializar. Devido às inúmeras oportunidades encontradas no mercado de trabalho, o profissional pode encontrar alguma dificuldade em decidir a melhor área para atuar. Uma das opções mais promissoras é se tornar um advogado societário.

Embora muitos estudantes ingressem na faculdade de Direito fascinados com a advocacia criminal, temos observado um crescimento no interesse por outros ramos, especialmente devido às rápidas mudanças econômicas pelas quais a sociedade tem passado.

Para saber mais sobre a atuação do advogado societário e conhecer os principais motivos para optar por essa área, siga a leitura!

O que é Direito Societário?

O Direito Societário trata do estudo dos diferentes tipos de sociedades empresariais, suas regras de constituição e dissolução, bem como as características das relações entre sócios e acionistas. Devido às peculiaridades dos quadros societários, também abrange questões gerenciais, alterações de participação, conflitos societários, entre outros.

Ou seja, o ramo do Direito Societário tem relação com o Direito Empresarial, embora não se tratem de institutos idênticos, mas sim complementares, pois a área societária foca em apenas um aspecto da relação comercial (a sociedade).

Como atuar na advocacia societária?

Como vimos, o Direito Societário tem relação estreita com a área empresarial, por isso, é comum que alguns profissionais confundam a atuação dos dois setores. Nesse sentido, precisamos enfatizar que o ramo societário é bem mais específico que o empresarial.

A advocacia societária é responsável por analisar os princípios e as regras para determinar quais são as melhores práticas para a estruturação e a reestruturação de sociedades no país. Para trabalhar com o Direito Societário, o advogado deve ter como objetivo a atuação no mundo corporativo ligada à construção de sociedades.

Para alcançar uma atuação de excelência, é necessário que ele tenha conhecimentos contábeis, financeiros, tributários, sobre técnicas de negociação, entre outros. Entre as principais atividades desempenhadas por esse profissional, podemos citar:

  • constituir sociedades;
  • reorganizar estruturas empresariais;
  • planejar e implementar fusões e aquisições;
  • estudar investimentos estrangeiros no país;
  • revisar aspectos legais de atuação da empresa;
  • estabelecer acordo entre sócios;
  • vender e comprar sociedades;
  • elaborar Contratos Sociais e demais contratos relacionados à constituição da sociedade;
  • estruturar joint ventures;
  • executar due diligence;
  • prestar assessoria jurídica;
  • atuar no contencioso em ações que envolvam direitos e obrigações de sócios e acionistas.

Quais são os princípios do Direito Societário?

Assim como outros ramos do Direito, o Societário também é regido por algumas regras que direcionam as práticas da área, pois existem princípios básicos que exercem grande influência na sociedade e pautam as nossas ações. Desse modo, os princípios do Direito Societário regem as condutas na atividade empresarial, dentre os quais, destacam-se alguns que veremos a seguir.

Liberdade de associação

O princípio da liberdade de associação está previsto no inciso XVII, do artigo 5.º da Constituição da República Federativa do Brasil (CRFB), da seguinte forma:

XVII — é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter paramilitar.

Assim, esse princípio assegura a associação de pessoas com fins pacíficos e por objetivos em comum e abrange o direito de associar-se ou não, bem como de se retirar de uma sociedade caso seja desejo do sócio. Desse modo, os grupos devem agir de acordo com o Estado Democrático de Direito.

Liberdade de iniciativa

A liberdade de iniciativa é outro princípio constitucional, previsto no artigo 170 da CFRB. Veja:

Tenha as mesmas condições

Art. 170 — A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social (…)

Parágrafo único — É assegurado a todos o livre exercício de qualquer atividade econômica, independentemente de autorização de órgãos públicos, salvo nos casos previstos em lei.

Desse modo, a liberdade de iniciativa assegura que o empresário seja livre para exercer sua iniciativa privada, desde que vise benefícios econômicos e seja lícita.

Função social da empresa

Este é um princípio que visa preservar a empresa que cumpre sua função social. Dessa forma, o princípio da função social se ampara no conceito de que uma empresa não deve focar apenas no lucro, mas também deve garantir que suas ações contribuam para o bem-estar social e econômico coletivo.

Ou seja, a função social da empresa representa o respeito aos direitos e interesses que envolvem a atividade empresarial, e que devem prevalecer no processo econômico. Assim, a atividade empresarial deve acompanhar o desenvolvimento social.

Autonomia patrimonial

O princípio da autonomia patrimonial tem por objetivo garantir que o patrimônio do sócio não seja invadido em razão das ações da sociedade nas quais ele esteja envolvido. Desse modo, a figura do empresário não é atingida e seus bens pessoais não são confundidos com os da empresa.

Essa proteção garante o ingresso de novos investidores, contribuindo para uma maior rotatividade da economia. Assim, sendo a empresa uma pessoa independente, ela que deve responder pelas suas obrigações.

Como é o mercado de trabalho da área?

Antes de abrir uma empresa, é bastante recomendável que o empresário busque por auxílio jurídico. Afinal, o processo de constituição de uma sociedade empresarial envolve diversos passos, como escolher a estrutura societária, redigir o contrato social, estabelecer o valor do capital social, entre outras ações necessárias para o nascimento e manutenção dessa sociedade.

Nesse momento atual, em que observamos o surgimento de diversas startups, a profissão de advogado societário está em alta no mercado jurídico, sendo mais uma opção de atuação da área do Direito. Nesse sentido, a advocacia tem olhado com atenção para a relação entre Direito Societário e startups, tornando esse um ramo de atuação em ascensão.

Contudo, para trabalhar nesse setor, é preciso especializar-se. Uma dica interessante é cursar uma Pós-graduação digital em Advocacia Societária ou fazer cursos de extensão na área. Essas capacitações podem facilitar o ingresso nesse mercado tão promissor.

Atualmente, nem apenas de Direito Criminal são feitos os sonhos dos advogados iniciantes. Em função do aumento do número de empresas, a área societária se tornou bastante atrativa. Assim, se você deseja se tornar um advogado societário, não deixe de seguir nossas dicas e buscar uma especialização na área. Esse certamente será o diferencial para a sua carreira!

Gostou das nossas dicas? Deseja saber mais sobre os nossos cursos e descobrir como eles podem ajudar você a ganhar destaque no mercado? Entre em contato conosco! Nossa equipe está pronta para tirar todas as suas dúvidas e indicar os melhores cursos para as suas necessidades!

newsletter

Novidades de EBRADI por e-mail

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Entre em contato com a equipe EBRADI

Preencha o formulário e fale com um consultor de vendas

Condições especiais para a sua matrícula

| AVISO DE COOKIES

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para auxiliar na navegação, aprimorar a experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo do seu interesse. Para mais informações consulte nosso Aviso Externo de Privacidade.