A 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais reformou a decisão proferida em primeira instância para reconhecer o fato do produto e a quebra de segurança de um produto massageador que provocou cortes e queimaduras a uma consumidora. Diante do ocorrido, a empresa será responsável por indenizar a compradora em um valor acima de R$ 14 mil a título de danos materiais, morais e estéticos.

De acordo com os autos do processo, a consumidora comprou um aparelho massageador pelo preço de R$ 399 e, após a utilização do produto, sofreu diversas lesões pelo corpo, visto que as esferas alocadas na parte superior do produto se desprenderam e, por conta disso, houve o derretimento da fiação ocasionando o incêndio no aparelho e, consequentemente, lesionando a consumidora que utilizava o aparelho.

Depois do ocorrido, a consumidora realizou uma tentativa de troca do produto por outro da mesma empresa. Entretanto, após a troca ser efetuada, os problemas persistiram e, em certo momento, o cachorro da consumidora engoliu uma das esferas que se deslocaram do aparelho, provocando um engasgamento.

A consumidora destacou os seus gastos em consultas com o dermatologista e com o médico veterinário, além dos medicamentos utilizados por conta dos danos sofridos, ademais, efetuou o pagamento de uma perícia realizada por um engenheiro, onde ficou constatada em laudo os inúmeros defeitos existentes no produto.

Contudo, a empresa através de contestação, sustentou o argumento de que as provas apresentadas pela consumidora não são provas hábeis para comprovar o defeito de fábrica do produto, visto que, o profissional responsável pelo laudo não é especialista em eletroportáteis, além disso, a empresa destacou que os danos identificados pela utilização do produto foram causados pela consumidora, de maneira que, a consumidora não observou as recomendações do manual de instrução de como utilizar o aparelho.

Nesse seguimento, o juiz de primeira instância acatou os argumentos apresentados pela empresa e destacou que “o defeito, de fato, ocorreu, no entanto não há nos autos comprovação de que este tenha ocorrido por culpa do fabricante. A requerente (consumidora) sequer levou o aparelho em uma assistência técnica, o que inviabilizou a apuração do defeito, se este teria se dado por mau uso, erro em sua manipulação, defeito de alguma peça ou qualquer outro elemento”.

Tenha as mesmas condições

            Inconformada com a decisão, a consumidora interpôs um recurso de apelação para que fosse possível reavaliar a matéria, visto que o laudo pericial apresentado pelo engenheiro identificava uma segurança inadequada do produto.

Ao analisar o recurso apresentado, a relatora, desembargadora Shirley Fenzi Bertão observou a comprovação do defeito no produto adquirido pela compradora, informando que a situação se encaixa como fato do produto, onde o utensílio adquirido demonstra uma quebra de segurança para o uso doméstico da compradora.

Ademais, a desembargadora observou que após a troca do produto, feita pela consumidora, o produto continuou a apresentar defeitos, demonstrando que os problemas técnicos não estão relacionados somente com uma unidade do produto, mas sim com todos.

Portanto, a desembargadora reformou a sentença proferida em primeiro grau de jurisdição e condenou a empresa a realizar o pagamento da indenização para a consumidora prejudicada.  .

Gostou deste conteúdo?

Então, siga nossos perfis no FacebookInstagramLinkedIn e Twitter!

 

newsletter

Novidades de EBRADI por e-mail

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Entre em contato com a equipe EBRADI

Preencha o formulário e fale com um consultor de vendas

Condições especiais para a sua matrícula

| AVISO DE COOKIES

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para auxiliar na navegação, aprimorar a experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo do seu interesse. Para mais informações consulte nosso Aviso Externo de Privacidade.