A 11ª Câmara de Direito Privado do TJ/SP manteve a condenação ao pagamento de danos morais por uma emissora de televisão por conta de uma acusação de estupro sem provas. Entretanto, em relação à quantia, o Tribunal entendeu pela redução do feito de R$ 60 mil para R$ 20 mil em razão do caso ter sido um equívoco feito pela emissora e não ter toda a repercussão midiática narrada pelo autor.

Consta nos autos do processo que a emissora de televisão acusou um homem de sequestrar uma mulher para estupra-la junto com mais quatro amigos, porém, de acordo com uma investigação da ficha criminal do indivíduo, verifica-se que não há a condenação do homem por sequestro ou estupro e nem consta a prática de um delito em que o homem esteja envolvido, tratando-se, portanto, de acusação falsa feita pela emissora.

Em virtude da prática errônea feita pelo canal midiático, o rapaz ajuizou ação de indenização por danos morais e, em 2016, o primeiro grau de jurisdição acatou os argumentos do homem, reconhecendo o erro da emissora ao acusar o indivíduo como principal autor da prática do crime e, portanto, condenou o canal por conta do caráter sensacionalista da matéria e da acusação falsa a pagar R$ 60 mil ao homem.

Inconformada com a quantia destacada pelo juízo de primeiro grau, a emissora interpôs recurso de apelação e o desembargador Renato Rangel Desinano observou que realmente houve um erro na acusação feita pela emissora em relação ao homem, visto que ele não é o autor do crime e nem condenado pela prática, concluindo, assim, que a emissora ofendeu a honra do indivíduo ao vincular sua imagem à afirmação de autoria dos crimes.

Tenha as mesmas condições

Entretanto, o colegiado observou que no boletim de ocorrência consta que houve a instauração de inquérito policial para apuração dos crimes de lesão corporal e estupro, todavia, o sujeito até o fim das investigações nunca cometeu nenhum outro ilícito penal, não devendo, portanto, ser acusado erroneamente pela prática de um crime que não o fez.

Portanto, o colegiado observou que em razão da existência de um inquérito policial para investigação do caso e em virtude da acusação falsa de imposição de autoria do sujeito feita pela emissora, haveria a necessidade de reduzir o quantum da indenização, fixando-a, assim, em R$ 20 mil.

Gostou deste conteúdo?

Então, siga nossos perfis no FacebookInstagramLinkedIn e Twitter!

newsletter

Novidades de EBRADI por e-mail

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Entre em contato com a equipe EBRADI

Preencha o formulário e fale com um consultor de vendas

Condições especiais para a sua matrícula

| AVISO DE COOKIES

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para auxiliar na navegação, aprimorar a experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo do seu interesse. Para mais informações consulte nosso Aviso Externo de Privacidade.