A prescrição é um dos institutos mais importantes do Direito Penal, pois está diretamente ligada ao exercício dos direitos disponíveis aos que litigam nessa área. Há uma frase muito utilizada no meio jurídico e que pode ser aplicada nesse caso: “o Direito não socorre aos que dormem”.

De fato, é necessário agir para assegurar o exercício dos direitos escritos em letra de Lei. A inércia não assegura exercícios de direitos. A prescrição penal é assunto, portanto, extremamente importante para os penalistas e para todos os demais profissionais da área do Direito, de um modo geral.

Sem o conhecimento da prescrição, os juízes, os promotores de justiça e os delegados de polícia, por exemplo, não conseguem desempenhar suas respectivas funções. É exatamente por isso que a prescrição é um assunto tão recorrente na área de Direito Penal.

Nas próximas linhas, abordaremos tópicos destinados a compreender o que é a prescrição penal, quais são os tipos de prescrição penal, como é feito o cálculo da prescrição penal, além de tocar a questão dos crimes que não prescrevem e das pretensões punitivas e executórias.

O que é prescrição penal?

A prescrição penal trata, basicamente, da regulamentação do tempo que o titular de direitos dispõe para exercer a defesa penal de algum direito previsto em lei. Ela está incluída no Código Penal no art. 109, onde se lê: “A prescrição, antes de transitar em julgado a sentença final, salvo o disposto no § 1º do art. 110 deste Código, regula-se pelo máximo da pena privativa de liberdade cominada ao crime”.

Assim, para cada crime praticado, haverá, a partir da pena privativa de liberdade prevista em Lei, um lapso de tempo durante o qual será possível dar entrada a um processo criminal contra a conduta danosa ao bem jurídico protegido, tanto por meio de uma denúncia pelo Ministério Público, quanto em uma queixa-crime, apresentada por um advogado criminalista.

Basicamente, essa é a ideia da prescrição penal, qual seja, a da regulamentação do tempo para exercício da tutela penal.

Quais são os tipos de prescrição penal?

Agora que já compreendemos o que é a prescrição penal, vamos estudar quais são os tipos e, de modo mais exato, como identificá-los. Em linhas gerais, é possível dividir a prescrição penal em prescrição da pretensão punitiva e prescrição da pretensão executória.

Por isso explicamos, a seguir, a diferença entre cada uma delas, notadamente quanto ao elemento que as classifica como punitiva ou como executória.

Prescrição da pretensão punitiva

A prescrição da pretensão punitiva se caracteriza pelo fato de ocorrer antes do trânsito em julgado da sentença penal e ocasiona a supressão dos efeitos do crime, de uma maneira que pareça, para o mundo jurídico, que ele nunca tenha acontecido.

Tenha as mesmas condições

A prescrição da pretensão punitiva está regulamentada no art. 111 do Código Penal, onde se lê: “A prescrição, antes de transitar em julgado a sentença final, começa a correr: I – do dia em que o crime se consumou; II – no caso de tentativa, do dia em que cessou a atividade criminosa; III – nos crimes permanentes, do dia em que cessou a permanência; IV – nos de bigamia e nos de falsificação ou alteração de assentamento do registro civil, da data em que o fato se tornou conhecido; V – nos crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes, previstos neste Código ou em legislação especial.”

Prescrição de pretensão executória

A prescrição da pretensão executória, diferentemente da punitiva, ocorre após o trânsito em julgado de sentença penal condenatória. Ou seja, as situações que dão motivo à contagem do prazo de prescrição ocorrem todas elas após o trânsito de uma decisão judicial — e não antes, como no caso da pretensão punitiva.

A prescrição da pretensão executória está prevista no art. 112 do Código Penal, onde se lê a seguintes hipóteses para sua ocorrência: “(i) trânsito em julgado da sentença condenatória, para a acusação; (ii) quando se interrompe a execução, salvo quando o tempo da interrupção deva computar-se na pena; (iii) quando se transita em julgado a decisão que revoga a suspensão condicional da pena.”

Em linhas gerais, essa é a previsão legal e a ideia da pretensão executória. Vamos, em seguida, aprender sobre o cálculo para cada tipo de crime.

Como é o cálculo de prescrição para cada tipo de crime?

O cálculo de prescrição para cada tipo de crime está previsto no art. 109 do Código Penal e é contado a partir da pena máxima cominada para o delito em questão. Prevê o art. 109: “A prescrição, antes de transitar em julgado a sentença final, salvo o disposto no § 1º do art. 110 deste Código, regula-se pelo máximo da pena privativa de liberdade cominada ao crime, verificando-se:

I – em vinte anos, se o máximo da pena é superior a doze; II – em dezesseis anos, se o máximo da pena é superior a oito anos e não excede a doze; III – em doze anos, se o máximo da pena é superior a quatro anos e não excede a oito; IV – em oito anos, se o máximo da pena é superior a dois anos e não excede a quatro.

Ou seja, calcula-se, basicamente, a partir do máximo de pena cominada para o delito. Quanto maior for o máximo de pena cominada, maior será o período de tempo para a ocorrência da prescrição punitiva do crime.

Quais são os crimes que não prescrevem?

A legislação brasileira inclui alguns crimes que são considerados imprescritíveis, ou seja, nem mesmo o decurso do tempo é capaz de eliminar a possibilidade de adentrar com um processo judicial. Esses crimes estão previstos no art. 5º, XLII e XLIV, da Constituição Federal de 1988. São eles: o racismo e a ação dos grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado Democrático.

Enfim, essas são as informações mais importantes quando se trata da prescrição penal: o que é, como calculá-la, quais são os tipos de prescrição, além da compreensão de que há, no Brasil, crimes que simplesmente não prescrevem.

Gostou das informações? Então, continue com a EBRADI e leia nosso artigo sobre Pós-graduação Digital em Direito.

newsletter

Novidades de EBRADI por e-mail

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Entre em contato com a equipe EBRADI

Preencha o formulário e fale com um consultor de vendas

Condições especiais para a sua matrícula

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

| AVISO DE COOKIES

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para auxiliar na navegação, aprimorar a experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo do seu interesse. Para mais informações consulte nosso Aviso Externo de Privacidade.