O rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, levantou questões já abordadas em 2015, após o desastre da Samarco, em Mariana, que destruiu a vida de mais de 300 famílias. De acordo com o relator da ONU, as autoridades brasileiras devem aumentar o controle, e implementar medidas que previnam o possível rompimento de novas barragens.

 

Desde dezembro de 2017, por uma decisão do Conselho de Política Ambiental do Estado, foi aprovado o Licenciamento Ambiental Concomitante 1 ou “LAC 1”, que se diferencia do licenciamento tradicional. Esse novo licenciamento é concedido após uma única etapa probatória, facilitando, desse modo, a aprovação necessária para execução das atividades.

 

Essa facilidade disposta no novo procedimento licitatório pode contribuir com a inobservância de irregularidades existentes, podendo, a médio prazo, gerar grandes riscos ao meio ambiente.

 

Importante comentar que após um mês da publicação desse novo procedimento se deu o rompimento da barragem de Brumadinho, surgindo muitas discussões sobre a facilidade da concessão do licenciamento ambiental.

 

  1. Quais leis ambientais podem ser aplicadas à tragédia de Brumadinho?

 

Algumas leis ambientais foram criadas com o intuito de o Poder Público analisar as atividades econômicas e mensurar os possíveis impactos causados na ocorrência de crimes ambientais.

 

A Lei nº 6.938/81 trata da Política Nacional de Meio Ambiente, tanto da reparação dos danos causados ao meio ambiente como da assistência e do ressarcimento às comunidades afetadas.

 

Em observância à lei acima comentada, quem causar danos ao meio ambiente deve responder do seguinte modo, a depender da complexidade do ocorrido:

 

  1. a) Multa simples ou diária, nos valores correspondentes, no mínimo, a 10 (dez) e, no máximo, a 1.000 (mil) Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional – ORTNs, agravada em casos de reincidência específica, conforme dispuser o regulamento, vedada a sua cobrança pela União se já tiver sido aplicada pelo Estado, Distrito Federal, Territórios ou pelos Municípios.
  2. b) Perda ou restrição de incentivos e benefícios fiscais concedidos pelo Poder Público.
  3. c) Perda ou suspensão de participação em linhas de financiamento em estabelecimentos oficiais de crédito.
  4. d) Suspensão de sua atividade.

 

Já a Lei nº 9.605/98 trata especificamente de crimes ambientais cometidos por pessoas jurídicas, trazendo, desse modo,  as devidas penalidades. Uma vez comprovada as ilicitudes, além da responsabilidade da pessoa jurídica, os próprios diretores e engenheiros podem responder na medida de sua participação.

Tenha as mesmas condições

 

  1. Principais aspectos da legislação que protegem o meio ambiente

 

Entre os principais aspectos, podemos citar, como exemplo: o cometimento de crimes contra a fauna, a flora, ou a contribuição com poluições que provoquem destruições ou danos à saúde humana.

 

Além das leis, a Política Nacional de Segurança de Barragens, em seu artigo 3º, determina que deve existir um padrão de segurança para todas as barragens, com a finalidade de:

  1. a) Reduzir a possibilidade de acidente e suas consequências;
  2. b) Estabelecer conformidades de natureza técnica que permitam a avaliação da adequação aos parâmetros estabelecidos pelo poder público; e
  3. c) Fomentar a cultura de segurança de barragens e gestão de riscos, tópicos esses que foram ignorados pelo caso de Brumadinho.

 

  1. A responsabilidade do Poder Legislativo

 

Na Câmara dos Deputados, três projetos de lei que alteram trechos da Lei de Crimes Ambientais, da Política Nacional de Resíduos Sólidos e da Política Nacional de Segurança de Barragens estão parados desde 2016.

 

Podemos citar como mudanças contidas nessas propostas:

  1. Aumento em até 100 vezes do valor máximo da multa prevista em crimes ambientais;
  2. Realização de Plano de Emergência, sendo executados pelo empreendedor da barragem; e
  3. Equiparação de rejeitos de mineração de barragens a resíduos perigosos, criando instrumentos para que haja o desenvolvimento da percepção e risco das instituições.

 

  1. Tragédia anunciada

 

No cadastro da Agência Nacional de Mineração, a barragem do Córrego do Feijão é classificada como uma estrutura de pequeno porte com baixo risco e alto dano potencial. E, de acordo com a Lei nº 12.334/10, o dano calculado se reflete nas características técnicas e no estado de conservação do empreendimento. 

 

Porém, de acordo com o Sistema Integrado de Informação Ambiental de Minas Gerais, a Mina Córrego do Feijão foi alvo de cinco multas ambientais desde 1988 e teria provocado a degradação ambiental das localidades próximas a ela entre os anos de 2007 e 2009, devido ao despejo de efluentes em recursos hídricos.

 

Portanto, a responsabilização da Vale não pode ser atenuada. É preciso entender o papel das empresas em nossa sociedade e a necessidade da observância da função social que, obrigatoriamente, deve ser observada por todos os empreendimentos no país.

 

newsletter

Novidades de EBRADI por e-mail

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Nós usaremos seus dados para entrar em contato com você sobre as informações solicitadas neste formulário e sobre outras informações correlacionadas que podem ser de seu interesse. Você pode cancelar o envio da divulgação, a qualquer momento, utilizando o opt-out existente nas mensagens encaminhadas por nós. Para maiores informações, acesse nossos avisos de privacidade.

Entre em contato com a equipe EBRADI

Preencha o formulário e fale com um consultor de vendas

Condições especiais para a sua matrícula

| AVISO DE COOKIES

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para auxiliar na navegação, aprimorar a experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo do seu interesse. Para mais informações consulte nosso Aviso Externo de Privacidade.